Municípios que aderiram ao Pacto pela Educação registram crescimento no Ideb

Na Escola Estadual de Ensino Fundamental Nossa Senhora das Graças, no bairro do Guamá, em Belém, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2015 chegou a 6,1 nas séries iniciais do ensino fundamental. Os indicativos do Ideb foram divulgados na quinta-feira (8) pelo Ministério da Educação (MEC) e revelaram que a escola superou em 2,0 a meta de 4,1 projetada para o Estado. A escola é integrante do projeto Pacto pela Educação no Pará, cujos 40 municípios integrantes registraram crescimento no Ideb.

 

Para a diretora da escola, Maria Aparecida Rodrigues Garcia, o compromisso e a parcerias com pais de alunos e a comunidade escolar foram decisivos para elevar o nível de aprendizado dos alunos. “Nosso compromisso é com a educação dos alunos, envolvendo a direção, corpo técnico e professores e os pais, que participam ativamente de toda a vida escolar dos alunos, acompanhado o rendimento, a assiduidade e as atividades extra-classe, entre outras”, diz. A Escola Nossa Senhora das Graças tem 340 alunos matriculados no ensino do 1º a 4º ano do ensino fundamental.

 

Outro município que se destacou no Ideb foi Ulianopólis, no sudeste do Pará, subindo de 5,5 nas séries iniciais, de 2013, para 5,9, em 2015, assim como cresceu de 4,2 para 4,6 nas séries finais. Em seguida vem Santarém, no oeste do Pará, que cresceu de 4,9 para 5,2 nas séries iniciais e de 3,8 para 4,1 nas finais. Juruti, também no oeste, subiu de 4,2 para 4,7 e de 3,5 para 3,8 nas séries finais.

 

Para o secretário adjunto de Ensino da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), José Roberto Silva, o crescimento no Ideb – instrumento criado para medir a qualidade do aprendizado nacional e estabelecer metas para a melhoria do ensino – reforça que o caminho pela melhoria na educação precisa ter parceria com diferentes setores e níveis de governo, comunidade escolar, sociedade civil organizada, iniciativa privada e até de organismos internacionais.

 

“Foi justamente nos 40 municípios que firmaram compromisso pela melhoria que vieram os melhores resultados. Eles trabalharam focados em cumprir os sete desafios propostos pelo Pacto pela Educação”, afirma o secretário. Entre os desafios estão melhorar o desempenho dos alunos dos ensinos fundamental e médio, desenvolver habilidades e competências dos profissionais de educação e ter rede física das escolas públicas adequadas e com recursos didático-pedagógicos disponíveis e coerentes com o plano político pedagógico.

 

Desempenhos – Para o doutor em Estatística Heliton Tavares, que também é professor da Universidade Federal do Pará (UFPA), os resultados do Sistema Paraense de Avaliação da Educação (Sispae 2015) refletem os resultados do Ideb 2015. “De modo geral, houve avanço na média de proficiência, tanto em língua portuguesa quanto em matemática em todas as séries e anos avaliados quando se comparam os resultados, no caso do Sispae, entre as edições de 2014 e 2015 e, do Ideb, de 2013 e 2015”, detalha.

 

Os números do Sispae 2015 mostram, por exemplo, que no 4º ano do ensino fundamental a média de proficiência do Estado em língua portuguesa cresceu 7,4%. Na 8ª série, o crescimento foi de 2,83%, e no ensino médio, o desempenho dos alunos do 2º ano aumentou 3,5%. “O incremento nas médias de proficiências nas séries iniciais, reveladas pelo Sispae e publicadas em maio deste ano, era indicativo de melhora nos resultados do Ideb, como de fato ocorreu, inclusive com superação da meta prevista, no caso das séries iniciais. Nos anos finais e no ensino médio, os resultados também indicavam crescimento, sem que esse crescimento, contudo, fosse suficiente para o alcance das metas estabelecidas para esses níveis de ensino”, analisa o professor.

 

O MEC divulgou na quinta-feira (8) os resultados do Ideb 2015. O Pará obteve o segundo maior crescimento na avaliação e, com o resultado, subiu quatro posições no ranking nacional em comparação com os dados do levantamento de 2013. Enquanto em 2013 o Pará ocupava a 26ª colocação no índice, em 2015 o Estado subiu para o 22º lugar, passando de 2,7 para 3,0 no ensino médio, à frente de Estados como Alagoas, Bahia, Rio Grande do Norte e Sergipe.

 

A evolução nos resultados, segundo a secretária de Estado de Educação, Ana Claudia Hage, ocorreu em todos os níveis – dos anos iniciais e finais do ensino fundamental ao ensino médio –, e o Estado do Pará já atingiu a meta nacional proposta para os anos iniciais do ensino fundamental. Em relação aos demais segmentos, aproxima-se do objetivo.

 

Por Kátia Aguiar


Logo_BID Logo_ItauBBA Logo_Natura


Site desenvolvido pela Diretoria de Comunicação Institucional da Secretaria de Estado de Comunicação - Governo do Pará.